Preço do pescado vendido em mercados de Belém tem alta acima da inflação, aponta Dieese

Levantamento analisou a trajetória dos preços do alimento nos últimos doze meses

O pescado comercializado em mercados municipais e supermercados de Belém estão mais caros, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese\PA). Segundo o levantamento divulgado nesta sexta-feira (12), os reajustes estão bem acima da inflação.

O estudo analisa os preços dos pescados vendidos no mês de janeiro e fevereiro deste ano, em comparativo com os doze últimos meses. Segundo o Dieese, os preços dos principais tipos de pescado variam em função dos locais de vendas, das espécies comercializadas e da forma de comercialização do pescado.

De acordo com a pesquisa do Dieese, os reajustes não foram uniformes, mas na maioria dos casos ultrapassaram 10%, enquanto a inflação calculada para o mesmo período foi de 1,09%. Segundo o Dieese, a tendência pelo menos até a Semana Santa é de novas altas no preço do pescado comercializado não só na Região Metropolitana de Belém, mas em todo o Pará.

De acordo com o levantamento, no mês de fevereiro, dos pescados comercializados inteiros, o que apresentou o maior reajuste foi o quilo da Gurijuba com alta de 13,91%, seguida do kg da Pescada Amarela com alta de 11,31% e do Camurim kg com alta de 6,33%.

A pesquisa apontou que apenas poucos tipos de pescados apresentaram quedas de preço, a exemplo da Pescada Gó que teve recuo de 2,49%. Entre os pescados comercializados em postas, o kg da Pescada Amarela foi o que teve a maior alta, de 3,88%.

Entre os tipos de pescados comercializados de forma filétada nos supermercados, o destaque ficou por conta do kg do filé de Pescada Amarela com alta de 8,33%. Também nos mês passado, o kg do Filé de Salmão apresentou queda de preço de 8,83%.

Nos últimos doze meses, de acordo com o estudo, o maior reajuste de pescados vendidos inteiros foi verificado no preço do kg da Dourada, com alta acumulada de 87,33%, seguida do Tambaqui, com 64,09% e Gurijuba, com 62,88%.

No mesmo período, os peixes comercializados em postas com os maiores reajustes foram a Dourada, com alta acumulada de 75,33%, seguida do Filhote, com reajuste acumulado de 24,40%.

Fonte: G1 Pará

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.