Homem confessa que matou companheiro para roubar caminhonete e dá-la para a ex-namorada em Sorriso

O assassino, Edieferson Oliveira dos Santos, de 25 anos, estava preso preventivamente desde o dia 28 de janeiro

Homem confessa que matou companheiro para roubar caminhonete e dá-la para a ex-namorada

O principal suspeito pela morte de Vanderlei Mazutti, de 36 anos, que foi encontrado morto no dia 23 de janeiro nas imediações da Estrada Pontal do Verde, na zona rural do município de Sorriso (420 km de Cuiabá), confessou o crime à Polícia Judiciária Civil nesta última terça-feira (23). O assassino, Edieferson Oliveira dos Santos, de 25 anos, estava preso preventivamente desde o dia 28 de janeiro.

De acordo com informações da Polícia Civil, Edieferson teria confessado que a motivação do crime era roubar a caminhonete S10 de Vanderlei para presentear a ex-companheira, com quem tentava reatar, e também o fato não querer que as pessoas soubessem do relacionamento que ele mantinha com a vítima.

Para tentar escapar das investigações, no dia do crime, Edieferson ainda procurou a delegacia do município para denunciar o desaparecimento de Vanderlei. No relato, ele disse que a vítima era amiga dele e teria ido até sua residência na noite anterior deixar a caminhonete S10 e pego sua motocicleta emprestada. Ainda disse que Vanderlei teria saído em posse de um cheque afirmando que trocaria, e não retornou mais ao endereço. 

A versão foi desmentida pela Polícia Civil durante as investigações, que descobriu que a intenção do acusado era ludibriar os investigadores e tentar sair impune. Conforme o delegado José Getúlio Daniel, antes do crime de latrocínio, o suspeito e a vítima discutiram após Vanderlei ter dito para algumas pessoas que os dois tinham um relacionamento homo afetivo. 

Segundo a polícia, o assassino não queria que as pessoas soubessem do relacionamento que ele mantinha com Vanderlei. Isto, porque ele tentava reatar com sua ex-companheira, para quem prometeu lhe presentear com um veículo. 

Confrontado pelas constatações da polícia, após três interrogatórios, o acusado confessou à polícia que matou Vanderlei e que a caminhonete seria dada a sua ex-companheira como uma forma de tentar reatar o relacionamento. 

“O suspeito, após o crime, procurou algumas lojas para consertar a caminhonete subtraída. Após as diligências e oitivas de testemunhas foi possível identificar que o suspeito horas antes do crime havia saído juntamente com a vítima em direção ao local do crime”, disse o delegado ao desmentir a versão que havia sido dada inicialmente por Edieferson. 

Ainda segundo as investigações, a suposta preocupação do suspeito em relação ao desaparecimento da vítima não passou de uma forma de dissimular as próprias ações para que familiares, amigos e a Polícia Civil não o tivessem como potencial autor do crime. 

“Ele, de forma dissimulada, apresentava comportamento psicopático e tentava ludibriar os investigadores, mas conseguimos, identificando as provas. Aproveitando-se que tinha esse relacionamento com o suspeito, aproveitou-se da confiança queque ele possuía, o levou a vítima até o local ermo e de posse de arma branca desferiu golpes que levaram a vítima à morte”, revelou José.

Durante o interrogatório, o suspeito também confessou que, no dia do crime, ele matou a vítima enquanto os dois estavam tendo uma relação sexual para assassinar. “Os investigadores constataram, inclusive, que a tampa traseira estava com defeito e não realizando a abertura. Foram verificadas manchas de sangue no vidro lateral do veículo, no banco e no assoalho do carro”. 

O caso

O corpo de Vanderlei Mazutti, de 36 anos, foi  encontrado na linha do Pontal do Verde próximo à ponte do rio Teles Pires, por pessoas que passavam pelo local, onde havia um vidro de veículo quebrado e muita sangue, indicado luta entre as partes. (Com informações do Portal Sorriso)

Fonte: Olhar Direto

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.