Líder da Al Qaeda estava na lista de mais procurados do FBI; recompensa era de US$ 25 mi

O líder da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri, morto em um ataque de drone no Afeganistão em uma operação especial dos Estados Unidos, segundo fontes, estava na lista dos mais procurados  FBI (Departamento Federal de Investigação).

O órgão americano oferecia uma recompensa de US$ 25 milhões – o equivalente a R$ 129 milhões com a cotação do dólar desta segunda-feira (1) a R$ 5,17.

Poster do FBI
Poster do FBI com informações de líder da Al Qaeda / FBI

De acordo com as informações do FBI, Al-Zawahiri era médico e fundador da Jihad Islâmica Egípcia (EIJ).  Aproximadamente em 1998, o EIJ liderado  fundiu-se com a Al Qaeda.

“Ayman Al-Zawahiri foi indiciado por sua suposta participação nos atentados de 7 de agosto de 1998 contra as embaixadas dos Estados Unidos em Dar es Salaam, na Tanzânia, e Nairóbi, no Quênia”, diz o aviso do FBI.

Zawahiri, que acabou de completar 71 anos, permaneceu um símbolo internacional da Al Qaeda grupo após a morte de Osama Bin Laden.

O alvo da operação chegou a atuar como médico pessoal de Bin Laden, morto há 11 anos pelos Estados Unidos.

Zawahiri vem de uma distinta família egípcia, de acordo com o New York Times. Seu avô, Rabia’a ​​al-Zawahiri, era um imã, uma espécie de sacerdote, da Universidade al-Azhar, no Cairo. Seu tio-avô, Abdel Rahman Azzam, foi o primeiro secretário da Liga Árabe — organização de estados árabes.

(Publicado por Carolina Farias)

Fonte CNN Brasil

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!