MP denuncia homem que matou petista por homicídio duplamente qualificado

O Ministério Público do Paraná denunciou nesta quarta-feira (20) o agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho, acusado de matar o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) Marcelo Arruda, por homicídio duplamente qualificado.

Arruda foi morto por Garanho, apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), em sua própria festa de aniversário, em Foz do Iguaçu, com tema em homenagem ao PT e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A Polícia Civil concluiu que o crime, ocorrido no dia 9 de julho, não teve motivação política e indiciou o agente penitenciário por homicídio qualificado por motivo torpe e causar perigo comum.

A Promotoria, no entanto, divergiu do entendimento da polícia e definiu o crime como “fútil por preferências políticas partidárias antagônicas”.

“O motivo fútil é aquele flagrantemente desproporcional, banal. Nós entendemos que em razão dessa divergência, desse antagonismo em razão de preferência político-partidário, o crime foi praticado por motivo fútil”, explicou o promotor Tiago Lisboa Mendonça em coletiva de imprensa.

Fonte CNN Brasil

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!