Profissionais da Educação são capacitados para combater casos de violência sexual

Imagem: Promfissionais da educacao Profissionais da Educação são capacitados para combater casos de violência sexual
Profissionais da educação – Reprodução

Profissionais da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel) de Várzea Grande realizam, nesta semana, a qualificação para implementação do novo Protocolo Integrado de Atendimento de Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência Sexual, lançado na tarde desta quarta-feira (13) pela Rede Protege: Articulação Intersetorial da Infância e Adolescência. A capacitação foca na matéria de “Escuta Personalizada” e reúne oficinas com estudos de caso, orientações técnicas sobre a metodologia de Escuta Especializada e mais.

Esta é a terceira edição do documento que unifica os procedimentos para lidar com vítimas de violência sexual em diferentes instituições do poder público. A expectativa é que este contribua para gerar dinamicidade e maior efetividade das políticas públicas e serviços ofertados à população. O material traz, entre outros dados, informações sobre a porta de entrada para o acolhimento e os encaminhamentos a serem realizados entre as instituições que integram o Sistema de Garantia de Direitos e demais fluxos e procedimentos de atendimento da rede de proteção.

Presente no evento de lançamento do Protocolo, a primeira-dama de Várzea Grande e promotora de Justiça, Kika Dorilêo Baracat, destacou a importância da implementação deste protocolo para proteger as crianças e adolescentes de Várzea Grande e falou sobre o compromisso pessoal do prefeito Kalil Baracat em fortalecer as políticas públicas para este público.

“Que nossos profissionais aproveitem ao máximo esse momento de formação, pois essas vítimas precisam ser olhadas com muito carinho, com muita atenção e com muita empatia. Elas precisam ser vistas como as pessoas em desenvolvimento que são, para que recebam integralmente toda a proteção que lhes é devida”, completou.

Representando o Secretário Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis, a subsecretária Maria Alice de Barros Silva também falou sobre a importância da qualificação para a efetivação da iniciativa. “É muito importante que os nossos profissionais sejam capacitados para operar dentro do Protocolo da melhor forma possível, para lidar com essa situação, que é muito delicada, de forma ágil e efetiva, prezando sempre pela segurança de nossas crianças”, disse.

Já o procurador Geral de Justiça do estado, José Antônio Borges Pereira, lembrou que nesta quarta-feira (13) também é comemorado o aniversário do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), documento que consolida direitos de uma minoria e representa uma conquista não apenas das crianças e adolescentes, mas também dos movimentos políticos das mulheres.

“Sei que estou falando para convertidos aqui, mas não podemos deixar de reforçar a importância da luta pelo direito das mulheres, das crianças, dos idosos. É importante a gente saber que nosso estado, nosso município, tem essa consciência e por isso conseguimos esses marcos como o Protocolo”, concluiu.

A Rede Protege é uma articulação política e democrática que visa o atendimento integral de crianças e adolescentes em situação de violência sexual. Ela é formada por instituições públicas e da sociedade civil ligadas à Rede de Proteção Social à Criança e ao Adolescente.

Fonte Agora MT

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!