Operação suspende festival de funk em Cuiabá; liminar libera em seguida

O show do rapper Filipe Ret, realizado no início da madrugada deste sábado (16), em Cuiabá, foi interrompido após a deflagração da Operação “Sonora”. Diversas instituições do poder público atuaram após diversas denúncias de perturbação do sossego, além de poluição sonora. 

A apresentação fazia parte do festival “É o Trap, é o Funk”, e além do cantor, também se apresentaram MC Tickão, DJ Houdini e Caio Lucas. O ingresso mais barato para o evento, realizado no Parque de Exposições da Acrimat, custava R$ 80. 

De acordo com o boletim de ocorrência, diversas denúncias foram feitas por conta do evento. Ao chegarem no local, as equipes foram recebidas por uma mulher, que se apresentou como advogada, mas não se identificou. Homens da Prefeitura de Cuiabá fizeram aferições com decibelímetros. 

Inicialmente, houve resistência de alguns presentes por conta da suspensão do evento. Vários materiais foram apreendidos e encaminhados para a Secretaria de Ordem Pública de Cuiabá. No entanto, quando as equipes estavam deixando o local, um oficial de Justiça notificou a equipe de fiscalização. 

Os organizadores do evento haviam conseguido uma liminar, que liberava a realização do festival. A decisão judicial se deu após os responsáveis pelo festival terem adotado algumas medidas oriundas da própria fiscalização, o que permitiu que os shows pudessem continuar. 

Participaram da “força-tarefa” a Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Civil, a Polícia Militar, Força Tática, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Canil do Bope, Secretaria Municipal de Ordem Pública e Defesa Civil.  

Fonte: Folha Max

Fonte NMT

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!