Suécia e Finlândia devem assinar protocolo de entrada na Otan nesta terça (5)

A Suécia e a Finlândia devem assinar nesta terça-feira (5) os protocolos de adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). O ato deve acontecer na sede do colegiado, em Bruxelas, na Bélgica.

Durante a Cúpula da Otan, em Madri, na semana passada, a Turquia concordou com a entrada dos países na aliança. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acusava a Suécia e Finlândia de abrigar “organizações terroristas” curdas.

Sem o veto turco à adesão dos novos candidatos, as negociações avançaram, sendo encerradas nesta segunda-feira (4) com a confirmação formal do interesse das nações de se juntarem ao grupo.

“Ambos os países confirmaram formalmente a sua vontade e capacidade de cumprir as obrigações e compromissos políticos, legais e militares da adesão à Otan”, diz nota da organização.

As conversações por parte da Finlândia foram conduzidas pelo ministro das Relações Exteriores, Pekka Haavisto, e pelo ministro da Defesa, Antti Kaikkonen, enquanto a delegação sueca foi liderada pela ministra das Relações Exteriores, Ann Linde.

As reuniões da segunda-feira foram presididas pela secretária-geral adjunta da Otan para Assuntos Políticos e Política de Segurança, Bettina Cadenbach.  

Próximos passos

Com a conclusão das negociações, os protocolos devem ser assinados nesta terça-feira.

Após a formalidade, os documentos seguirão para ratificação de cada dos 30 estados-membros da Otan.

Depois, cada país candidato será formalmente convidado a aderir ao Tratado de Washington, documento fundador da aliança.

O processo geralmente leva cerca de um ano, desde a assinatura do protocolo de adesão pelos membros existentes, mas, como a guerra na Ucrânia acrescentou urgência sem precedentes, o cronograma pode ser acelerado.

Portas abertas

A Otan tem uma política de “portas abertas” e qualquer país pode ser convidado a participar se manifestar interesse, desde que seja capaz e esteja disposto a defender os princípios do tratado fundador do bloco.

A primeira-ministra da Suécia, Magdalena Andersson, afirmou na segunda, em entrevista coletiva conjunta com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em Kiev, que seu país respeitará a política.

“O que posso dizer é que, quando nos tornarmos membros, apoiaremos a política de portas abertas da Otan”, disse Andersson.

A adesão da Suécia e da Finlândia indica um passo importante para firmar a posição da Otan, fortalecendo o flanco leste do bloco meses após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Ambos os países mantêm o status neutro há anos, porém o apoio à adesão à Otan dentro dos países aumentou desde o início do confronto.

Andersson também disse que a Suécia continua “aberta a novas sanções” contra a Rússia.

“Acho que há opiniões diferentes dentro da União Europeia sobre esse ser o caminho certo agora”, ponderou Andersson, mas acrescentou: “Estamos abertos para isso”.

(Com informações de Júlia Vieira, Rob Iddiols, Rob Picheta e Joshua Berlinger da CNN)

Fonte CNN Brasil

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!