Vereador mata agente do Pomeri em Cuiabá e sindicato cobra investigação

A morte do agente de segurança socioeducativo, Alexandre Miyagawa, de 41 anos, está cercada de dúvidas, segundo o presidente do Sindpss (Sindicato da Carreira dos Profissionais do Sistema Socioeducativo do Estado de Mato Grosso), Paulo César de Souza.

WhatsApp Image 2022 07 01 at 19.50.46

Vereador por Cuiabá, o tenente-coronel da Polícia Militar Marcos Paccola (Republicanos) matou Alexandre na noite desta sexta-feira (1°) em Cuiabá. O crime ocorreu na rua Presidente Arthur Bernardes, bairro Quilombo.

De acordo com a assessoria de imprensa, o vereador avistou um homem agredindo e apontando uma arma para uma mulher na rua, e teria parado para prestar socorro. Paccola disse que deu dado voz de prisão, no entanto, o homem teria atirado contra o vereador, que revidou e o atingiu com tiros.

Versões controversas

Conforme o presidente da categoria, há diversas versões para o crime. Uma diz que foi uma briga de casal, outra que foi por causa de uma briga de trânsito e uma terceira versão diz que pode ter ocorrido uma execução.

“Várias informações estão chegando, e vamos esperar as câmeras de segurança. Disseram que ele estava armado, outros já disseram que chegou esse carro de vidro fumê, fechado e já desceu atirando nele, em uma execução, mas são especulações. Nada de concreto, e a perícia está no local e vai buscar testemunhas e as câmeras”.

Alexandre atuava com os menores infratores do Pomeri, e assumiu o cargo em fevereiro de 2021. De acordo com o presidente, era um funcionário “maravilhoso” e querido pelos colegas. Neste sábado (2) seria o plantão dele.

“No dia a dia nunca imaginaríamos que pudesse ser agressor de mulher. Outros dizem que ele furou o sinal e começou uma discussão, mas temos que ver todo o enredo, se foi essa questão de trânsito também. Vamos dar suporte jurídico para a família e esperar a perícia técnica montar todo esse quebra-cabeça e depois vamos ver o como o sindicato vai se posicionar. Amanhã seria o plantão dele. Estamos todos perdidos, sem saber o que aconteceu. O dia a dia dele muito tranquilo, um cara maravilhoso, tanto que os colegas deles estão todos aqui”, completou.

Marcos Paccola
Marcos Paccola é vereador e tenente-coronel da PM

Paccola ainda não comentou o fato, no entanto, sua assessoria de imprensa disse à reportagem do Primeira Página que ele irá se pronunciar em breve.

“Ele chegou no local e o cara estava apontando uma arma para a mulher. Ele deu voz para o cara soltar ela, mas ele reagiu e atirou. Ele atirou de volta e o cara morreu. A mulher está bem. O vereador Paccola está na delegacia, mas vai se pronunciar, gravar um vídeo para se explicar certinho”, disse a assessoria do vereador.

Fonte Primeira Página

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!