PJC de Sorriso esclarece 67% dos casos de homicídio

Delegado aponta altos índices de resolutividade em investigações de crimes contra a vida

Foto: Divulgação

A resolutividade de crimes contra a vida, na forma consumada, realizada pela Polícia Civil de Sorriso, por meio da Divisão de Homicídio e Proteção à pessoa (DHPP), alcançou a média de 67% de casos esclarecidos com a identificação e indiciamento dos autores do crime. No ano passado, segundo o delegado José Getúlio Daniel, que comanda os trabalhos, foram registrados 30 homicídios em 2021.

Além de Sorriso e Boa Esperança, a delegacia é responsável por investigar crimes em Ipiranga do Norte. “Se analisarmos os dados como um só, vez que Boa esperança apesar de estar em processo de emancipação ainda faz parte do município de Sorriso, temos em 2021 um índice de 67% de elucidações, ou seja, um aumento de 14% em relação ao ano anterior de 2020, que ficou em 53%”, informou Getúlio Daniel.

Os dados registrados na unidade demonstram a eficiência nas investigações nesse tipo de crime, e o levantamento estatístico busca qualificar o trabalho policial investigativo e quantificar a eficiência do trabalho da equipe sorrisense.

“Desde que a divisão foi criada no ano de 2017, ao qual se registrou um elevado número de casos no município, o trabalho realizado pela pasta vem surtindo efeitos tanto na diminuição dos números de casos, quanto para o seu índice de elucidações”, frisou o delegado.

Conforme o levantamento, tanto em 2021 quanto em 2020 foram contabilizados 30 homicídios. “Porém, se compararmos com o ano de 2017, onde se registrou um total de 48 homicídios, temos uma redução de 37,5% dos casos, índice ao qual tem-se mantido nos últimos anos, onde 2019 registrou 29 casos, 2020 registrando 30 casos e 2021 mantendo-se os 30”.

De acordo com o delegado José Getúlio Daniel, os índices seriam ainda melhores se fossem levados em conta apenas os casos ocorridos na cidade de Sorriso. Isso porque a redução de homicídios seria de 13,33 % em relação ao ano anterior e 44% em relação ao pior ano, que foi 2017.

“Verificamos que o crime de homicídio pode ter diversos motivações e precisa ser analisado individualmente. Parabenizo aos investigadores. A DHPP vem se aprimorando e isso reflete nas estatísticas”. 

Foto: Divulgação

Fonte:  Portal Sorriso

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.