Índice que reajusta contrato de aluguel deve fechar o ano em 20%

Queda de 0,64% no IGP-M em setembro foi pontual e influenciada pela desvalorização do minério de ferro, que deve se recuperar

Foto: Agência Brasil/Arquivo/Ilustrativa

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), indicador utilizado para reajustar os contratos de aluguel, caiu 0,64% no mês de setembro, de acordo com a FGV (Fundação Getulio Vargas).

A pequena queda, no entanto, não deve permanecer nos próximos meses,, e a previsão é que o índice feche o ano em torno de 20%. A variação negativa do IGP-M em setembro foi pontual, e não generalizada, de acordo com o economista André Braz, coordenador do IPC do FGV IBRE.

Para o economista, o motivo é simples: já há um sinal de recuperação do preço no mercado internacional do minério de ferro. “Em outubro, o IPA já deve registrar alguma alta, devolvendo parte dessa queda.”

Braz pontua que, apesar de não ser uma tendência de queda, o IGP-M deve continuar desalecerando “porque no ano passado nós tivemos uma desvalorização cambial e aumento de comodities muito mais forte do que o registrado agora”.

“Nós vamos substituir um ano de inflação de peso por um ano de inflação mais baixa. A previsão é que o IGP-M feche em torno de 20%, o que continua alto se considerarmos que o IPC, que é parecido com o IPCA do IBGE, pode terminar o ano a 9%. Então haverá uma diferença muito grande entre a inflação da indústria e agronegócio e a das famílias.”

Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), também acredita que a queda do IGP-M em setembro foi pontual. Saiba mais aqui, no R7, site da Record TV.

Fonte: R7

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.