Sorriso criará rede unificada de enfrentamento à violência

As redes de proteção têm papel fundamental no atendimento às vítimas de violência

Foto: Assessoria

Este mês de agosto é dedicado à conscientização pelo fim da violência contra a mulher. Neste ano, a campanha nacional ‘Agosto Lilás’ comemora 15 anos da Lei Maria da Penha, criada para punir casos de violência doméstica e familiar contra mulheres.

Infelizmente, além da violência contra mulheres, cresce a cada dia o número de denúncias de casos de violações aos direitos de crianças e adolescentes, sejam por agressões físicas, psicológicas ou sexuais.  

Neste cenário, as redes de proteção acabam tendo um papel fundamental no atendimento às vítimas de violência, em suas diversas formas, com estruturas de atendimento que contribuem para o encaminhamento adequado, proporcionado atendimento individualizado e humanizado, além de promover uma maior agilidade na resolução dos casos.

A Administração Municipal de Sorriso, por meio da Secretaria de Assistência Social, oferece atendimento especializado de proteção às crianças, adolescentes, à mulher e aos idosos em situação de violência. Porém, não existe um atendimento unificado e isso será possível através de um projeto que prevê a criação de uma rede única. A iniciativa contará com a participação dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Na última quinta-feira (12), as tratativas avançaram em busca de efetivar a criação desta rede, durante uma reunião que contou com a presença do prefeito Ari Lafin, a primeira-dama e secretária de Assistência Social, Jucélia Ferro, do juiz da Comarca de Sorriso, Anderson Candiotto, do presidente da Câmara de Vereadores, Leandro Damiani e dos secretários municipais Estevan Calvo (Administração) e Luis Fábio Marchioro (Saúde e Saneamento).  

“Levando-se em conta que os profissionais que atuam nessas frentes são os mesmos, nada mais racional do que termos uma rede única, para que possamos, com a mesma equipe, cada vez mais especializada, fazer um atendimento uniforme e amplo para situações que envolvam esse público vulnerável”, frisa Candioto.  

Segundo a gestora da Assistência Social, a rede vem para agilizar o processo e proteger a vítima, através de um protocolo integrado. “Estaremos investindo em profissionais para coordenar e fazer com que o processo flua mais rápido, para que quando ocorrer a violação de direitos, a pessoa não precise relembrar o trauma vivido por diversas vezes, com a escuta única dessa vítima”, explica Jucélia.

O juiz de Direito ressalta que o projeto fará que com que as pessoas vítimas de alguma violência tenham acesso a todas as estruturas de proteção. “Será criada uma rede unificada de triagem, com escutas especializadas, que encaminhará as vítimas aos órgãos competentes para acolhimento, atendimento e acompanhamento. Além da atuação das forças policiais e da justiça criminal na repressão de quem viola os direitos das crianças, adolescentes, das mulheres e dos idosos. Saímos desta reunião com vários passos dados rumo à concretização desta rede e com certeza, muito em breve, a partir de uma soma de esforços, esse projeto estará atendendo a população de Sorriso”, reforça.

“Estamos unindo forças para a criação de uma rede que contará com um conjunto de medidas e de profissionais que atuarão para garantir apoio e resguardar os direitos de pessoas vítimas de qualquer tipo de violação. Estamos dando um passo muito importante no enfrentamento a violência”, complementa o prefeito Ari.

Fonte: Assessoria

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.