Quase dez mil pessoas de 18 a 49 anos já tomaram vacina de faltosos em Cuiabá

Ao mesmo tempo as doses daqueles que faltarem à vacinação continuarão a ser agendadas para as pessoas de 18 a 44 anos, de acordo com o percentual correspondente da população da capital

Quase dez mil pessoas de 18 a 49 anos já tomaram vacina de faltosos em Cuiabá
Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Quase dez mil pessoas de 18 a 49 anos já tomaram as vacinas de pessoas que faltaram ao seu agendamento e foram para o fim da fila em Cuiabá. A estratégia adotada pelo município tem como objetivo acelerar a imunização na cidade e também evitar que as pessoas desistam de tentar ficar ‘escolhendo’ a marca que desejam tomar. 

A pedido do Olhar Direto, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) fez um levantamento, que aponta o chamamento de 9.978 pessoas, até esta segunda-feira (12), para tomarem as doses das pessoas que faltaram ao dia do seu agendamento e não justificaram após o período de 48 horas. 

No fim de junho, a prefeitura abriu cadastro para o grupo de 18 a 49 anos sem comorbidades, para que estes ficassem em uma espécie de lista de espera. O agendamento é realizado à medida que sobrarem as doses de quem faltar na data que estava agendado, e de acordo com o percentual de pessoas de cada grupo.

Por exemplo, considerando que um dia faltem 2 mil pessoas, após 48 horas essas vagas serão disponibilizadas. O grupo de 18 a 19 anos corresponde a 5,6% da população de Cuiabá, então 5,6% das 2 mil doses serão destinadas a esse público.

Outro exemplo: o grupo de 45 a 49 anos corresponde a 10% da população, então 10% das doses dos faltosos serão disponibilizados para eles. Depois que acabarem os grupos prioritários, que estão no Plano Nacional de Imunização, as doses serão todas destinadas aos grupos por faixas etárias.

Nesta segunda-feira, foi aberto o agendamento para o público de 45 a 49 anos. Ao mesmo tempo as doses daqueles que faltarem à vacinação continuarão a ser agendadas para as pessoas de 18 a 44 anos, de acordo com o percentual correspondente da população da capital.

“A coordenação da campanha de vacinação disse que temos poucas pessoas cadastradas de 50 anos acima sem comorbidades para serem agendadas. Sendo assim determinei que baixem a faixa etária para a imunização, para o público de 45 a 49 anos enquanto continuamos a usar as doses dos faltosos para pessoas de 18 até 44 anos. Desta forma continuamos a atender o PNI e damos celeridade à vacinação”, comentou o prefeito Emanuel Pinheiro.

MP quer barrar

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso pediu nesta última sexta-feira (9) a suspensão temporária do agendamento e vacinação (primeira dose ou dose única) contra a Covid-19 de pessoas na faixa etária de 18 a 49 anos sem comorbidades de Cuiabá, assim como outros municípios do Estado que tenham iniciado a mesma etapa de imunização. 

De acordo com informações do MPE-MT, foi feito o ingresso de uma Ação Civil Pública requerendo a concessão de medida liminar para garantir a adequação administrativa dos perfis de pessoas em conformidade com as diretrizes do Plano Nacional de Imunização e suas respectivas portarias de atualização, elaborados pelo Ministério da Saúde, mediante a divisão dessa categoria em diferentes idades.

Na ação, proposta contra o Estado e Cuiabá, o MPE-MT solicita que os requeridos observem e sigam estritamente a estipulação e composição dos grupos prioritários de vacinação previstos no Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19, ficando proibido a criação de outros ou de inserir, nos grupos preexistentes, categorias de pessoas não previstas originalmente.

Também em pedido liminar, foi requerido ao Poder Judiciário que os demandados, especialmente o município de Cuiabá, editem atos administrativos, no âmbito de suas competências, de divisão da categoria “18 a 49 anos” em diferentes faixas etárias, permitindo-se o agendamento dos mais jovens à medida que se for completando a imunização dos mais velhos.

Tribunal de Contas elogiou

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT) negou nesta sexta-feira (09) qualquer decisão determinando a suspensão de vacinação em Cuiabá. O conselheiro Antônio Joaquim lamentou o que chamou de vazamento de informações falsas e elogiou o sistema adotado na Capital. Porém, para evitar fura-filas, pediu um relatório para que seja acompanhado como está sendo feito este agendamento.

Tendo em vista o início do cadastro para vacinação de pessoas entre 18 e 49 anos, no dia 7 de julho, o Tribunal de Contas oficiou a Prefeitura de Cuiabá requisitando documentos e informações referentes à imunização desse grupo. 

No ofício, o TCE-MT requisitou um relatório com a relação de todas as pessoas que se cadastraram para vacinação no dia 29 de junho, contendo, no mínimo, identificação da pessoa, faixa etária a qual pertence e horário no qual foi feito o agendamento no sistema, bem como relatório com a relação de pessoas convocadas para vacinação entre 30 de junho e 6 de julho.

A intenção com este pedido é confirmar que não esteja havendo nenhum tipo de fura-filas e que a sistemática anunciada pela Prefeitura de Cuiabá esteja sendo seguida à risca.

Relator das contas da Prefeitura de Cuiabá, o conselheiro Antônio Joaquim lamentou o vazamento de informações falsas e enfatizou ainda que é favorável a vacinação no sistema adotado pelo Município.

Fonte: Olhar Direto

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.