Polícia Civil prende três suspeitos pela morte do empresário “Beto Caça e Pesca” em Guarantã do Norte

Parentes e amigos da vítima estiveram em frente à delegacia. Imagens de fotos apontavam hematomas no rosto da vítima ocasionados pelo filho, dias antes da morte

Foto: Roteiro Noticias

Na manhã de sexta-feira (28/05) uma equipe da Polícia Judiciária Civil de Guarantã do Norte, chefiada pelo Delegado Victor Hugo, cumpriu o mandato de prisão, contra os supostos mandantes do crime do empresário Gilberto de Oliveira Couto, popularmente conhecido como Beto da loja Caça e Pesca.

Contra eles à fortes indícios de envolvimento no crime sendo a ex-mulher, seu atual namorado e o filho da vítima. Investigações levam a  polícia a crer que os três venham participação no crime. Eles estão temporariamente presos.

As investigações da polícia referente a narrativas das testemunhas sempre apontaram o envolvimento dos três suspeitos e com isso levou a policia a realizar as medidas judiciais, uma vez que os suspeitos se assemelhavam entre as versões apresentadas pelas testemunhas ouvidas, mediantes os fatos a polícia cumpriu o mandato de prisões.

Segundo o delegado as investigações ainda permanecem, em relações de descobrir quem foi ou foram os executores do crime. O Delegado afirma que as três pessoas presas foram para averiguações e com isso não foram indiciadas e nem condenadas, as investigações ainda continuam. “Temos que ressaltar que, as três pessoas presas, não estão condenadas, por este motivo a sociedade não podem julgar cabalmente que são eles os mandantes do crime, mas as nossas suspeitas convergem para este destino”, explicou o delegado.

O representante da justiça, ainda relatou que, referente aos executores é um trabalho muito mais detalhado e cauteloso, uma vez que, as imagens de câmeras de segurança obtidas pela polícia, não apresentaram grandes informações, já que um crime premeditado é realizado com antecedência. “Provavelmente estes pistoleiros já cometeram outros crimes dessa natureza e com isso eles procuram evitar lugar com câmeras e testemunhas isso atrapalha nossos trabalhos, mas porem não impede”, relatou o delegado Victor Hugo.

Assim que souberam da prisão dos suspeitos uma grande multidão composta de parentes e amigos da vítima, se aglomeraram em frente à delegacia, alguns portando cartazes e faixas, pedindo justiça. Várias fotos estavam expostas da vítima onde ele estava o rosto com hematomas, devido ter sido agredido pelo próprio filho, dias antes de ser assassinado.

A vítima, tinha se separado de sua esposa os dois estavam travando uma disputa na separação dos bens e havia um desacordo aonde a ex e o filho não concordava com Gilberto.

Fonte: MT Ao Vivo / Roteiro Notícias

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.