Líder do PSL: posição de Bolsonaro evita divisão da direita em MT

Presidente do PSL aprovou manifestação do presidente à candidatura de José Medeiros ao Senado

O presidente estadual do PSL, Aécio Rodrigues, afirmou que a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre quem irá apoiar como em Mato Grosso nas eleições de 2022, com um ano de antecedência, irá facilitar a articulação da direita e evitar nova derrota nas urnas, como ocorreu em 2020.

Na segunda-feira (19), o presidente afirmou a apoiadores, em frente ao Palácio do Planalto, que seu candidato no Estado será o atual deputado federal José Medeiros (Podemos). Embora o presidente não tenha dito para qual cargo vai apoiá-lo, o teor da conversa dá a atender que é para o Senado.

Para Aécio, a declaração de Bolsonaro evita que a direita se divida os votos entre si.

Se nós não tivéssemos tantos candidatos, algum deles seria eleito. Mas infelizmente se dividiram e está aí o resultado: perdemos um senador

“Bolsonaro já declarou apoio a ele e eu acho que é uma decisão correta do presidente, para não ficar aquelas especulações e a direita lançar cinco candidatos, que afinal foi o motivo que perdeu [a vaga na eleição de 2020]”, afirmou, em entrevista à Rádio Capital.

“Se nós não tivéssemos tantos candidatos, algum deles seria eleito. Mas infelizmente se dividiram e está aí o resultado: perdemos um senador”, completou.

Para Aécio, a derrota da direita poderia ter sido evitada se o presidente houvesse manifestado, com antecedência e de forma clara, qual era o seu posicionamento diante das candidaturas possíveis.

“Assim já ficamos totalmente preparados, sabendo quem ele vai trabalhar. Agora eu acredito que ele fez uma declaração de punho firme, não vai ter alteração e vai dar para todo mundo trabalhar com o seu objetivo”, avaliou.

Filiação ao PSL

Questionado sobre rumores de bastidores de que Medeiros poderia deixar o Podemos e seguir para o PSL, Aécio negou. Segundo ele, não há conversas dessa natureza com o deputado federal, apenas a nível nacional, do presidente Jair Bolsonaro com a sigla.

O que deve ocorrer, segundo Aécio, é que Medeiros acompanhe Bolsonaro ao partido no qual ele se filiar.

“Medeiros deve acompanhar o presidente ao partido que ele for. Se for para o PSL, iremos recebê-lo de braços abertos. Não há conversa direta com ele porque como ele tem esse apoio do presidente, ele vai aguardar o presidente se filiar”, disse.

“Se o presidente se filiar ao PSL, não teremos problema nenhum e ele [Medeiros] será o nosso candidato ao Senado”, concluiu.

Fonte: Mídia News

Entre no grupo do Olhar Cidade no WhatsApp e receba notícias em tempo real CLIQUE AQUI
Já assistiu aos nossos novos vídeos no
YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.